xícara - cup - taza - Кубак - vaso - coppa - kopp - الكأس - tasse - beker - fincan - גלעזל - κύπελλο - pehar - чаша - kupillinen - cawan - чашка - kop - koppie - kikombe - գավաթ - chávena - filxhan - kopa - কাপ - 컵 - kup - kuppi - カップ- cốc - inkomishi


sexta-feira, 30 de março de 2012

Xícara italiana


Xícara de chá importada da Itália pela Supérfluo, de Piracicaba. Porcelana branca, decorada com gregas douradas e rosas vermelhas e brancas. Alta, elegante, tem o pires em formato bem diferente do usual.

Selo português homenageia Fernando Pessoa



Valor facial do selo: 10$00 (Dez Escudos)
Método de impressão: off-set em papel esmalte
INCM Imp. (Impresso pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda de Portugal)
CEPT (Conferência Européia das Administrações Postais e de Telecomunicações)


Em 1975 foi lançado em Portugal um selo em homenagem a Fernando Pessoa e à pintura portuguesa do Século XX, com a imagem do quadro "Fernando Pessoa Lendo Orpheu", pintado por Almada Negreiros (1893-1970), hoje existente na Fundação Calouste Gulbenkian  em Lisboa.

O quadro mostra, obre a mesa, uma xícara de café e o exemplar da Revista Orpheu (nº 2), criada em 1915 por Fernando Pessoa, Mário de Sá Carneiro, Luís de Montalvor e pelo próprio Almada Negreiros. Eu postei aqui no blog, em 21 de outubro de 2011 uma foto do quadro. Depois disso é que consegui o selo.

O pires e a xícara

Este par inseparável
A todos deve agradar,
De utilidade apreciável
Em toda parte e no lar.

Conteúdo desejável
Vamos ali degustar.
Sobre um pires tão amável
A xícara vai pousar.

Na xícara, um sabor
Com aroma inigualável,
Chá ou café, com vapor.

De valor inestimável,
Sobre o pires vamos pôr,
Em porcelana notável

Maria do Céo Corrêa, fevereiro de 2010

quarta-feira, 28 de março de 2012

Xícaras de origami em páginas de livros reciclados

Juntando sua paixão por artes plásticas com uma consciência ambiental criativa, a artista sueca Cecilia Levy fabrica uma linha de utensílios não convencionais, feitos de origami com páginas de livros reciclados. A idéia da artista é mostrar que existem diversas maneiras de se trabalhar o reaproveitamento e a reciclagem de materiais além de se ganhar dinheiro com a proteção ao meio ambiente.

Selecionei aqui as fotos de algumas xícaras de chá, coleção lançada por ela e atualmente comercializada em toda a Suécia. Futuramente deverá ser vendida em outros países. A artista trabalhou como professora na Faculdade de Artes e Ofícios, em Gotemburgo, onde ensinava aos estudantes o valor de materiais reciclados e a possibilidade de convertê-los em arte. Esta idéia lhe rendeu um Mestrado em design gráfico.

Xícara da Indonésia

Xícara de café fabricada na Indonésia da marca Regency-Fine Porcelain. Porcelana branca com faixas verde, azul e branca. Frisos azuis formam larga faixa no centro com frutas em azul e verde. O  pires tem o mesmo desenho.  

quinta-feira, 8 de março de 2012

Xícara japonesa

Xícara de chá que meus sobrinhos Juliana e Joaquim me trouxeram de uma viagem a Tóquio. Porcelana ranca, exterior pintado em azul bem claro. Decorada com flores multicoloridas, com frisos dourados nos desenhos e na peça. Sem asa.

Eu já falei disso aqui uma vez, mas vou repetir: No Japão e na China as xícaras de chá não têm asa. A idéia é que se você consegue segurar com as mãos é porque a temperatura do chá está apropriada para consumo. Se queimar as mãos e não conseguir segurar, é porque pode fazer mal ... Os chineses e os japoneses bebem chá quente durante as refeições, nunca água ou bebids geladas.  

quarta-feira, 7 de março de 2012

Por que a baixa audiência?

Que pena, a novelinha das 6 - A Vida da Gente - terminou. Uma novela muito boa, leve, com temas envolventes e uma fotografia linda. Uma das melhores que vi em anos ...
E as xícaras? Em quase todos os capítulos (pelo menos os que eu vi) elas imperavam ... lindas, coloridas, verdadeiras obras de arte. Separei algumas cenas para vocês.

Mas ... estranho, esta novela teve a 2.a pior audiência da história da Globo. Por que será? Talvez pela ausência de cenas de sexo, mortes, armações (a não ser as da Eva, né?).

Xícara portuguesa

Xícara de café da marca Vista Alegre (modelo Arigato), de Portugal. Porcelana branca, pintada à mão, com flores rosa shoking e galhos dourados. O pires é pintado de rosa com flores brancas e galhos dourados.
Esta xícara foi um presente de minha grande amiga Madalena Akashi. Outro dia eu estava na casa dela e tomamos juntas um delicioso café com pão de queijo, que ela faz como ninguém, na hora. Eu notei que só haviam 4 xícaras com este modelo e (olhem a "cara de pau") disse a ela que não tinha desta na coleção. Na mesma hora ela embrulhou uma e me deu. Madalena e eu fomos colegas no Curso Ginasial, há mais de 50 anos e desde então nunca perdemos contato.

terça-feira, 6 de março de 2012

O mundo em uma xícara de café quente

Amanhecera há pouco e o café da manhã já estava sobre a mesa. Sentou-se na cadeira e serviu-se depois de ajeitar o guardanapo de linho branco. E ficou assim, parado, olhando o vapor do café quente, que se dissipava no ar.
Não estava muito feliz naquele dia e o olhar distante, parecia tentar achar nas formas que a evaporação provocava, soluções para questões que não conseguia entender.
Interessante a passagem dos tempos. Há épocas em que parecemos saber e compreender tudo. Temos respostas para todos os nossos problemas e ainda conhecemos as soluções que poderiam salvar o mundo. Passam-se alguns anos e às vezes nos percebemos plenos de indefinições.
Mas, os dias são assim, e não temos respostas pra tudo. Aliás não temos respostas pra quase tudo.
Talvez seja porque de fato nem precisemos delas.
Um amor, alguns dinheiros, paz, saúde e alegria de viver não são um resumo da vida, mas o conjunto do que realmente se precisa para ser feliz. O resto é lucro.
Uma boa refeição, uma noite de amor com quem se ama (e que te ame também), sorrir, estar em paz e se sentir saudável representam o principal e não o acessório.
Coisas sofisticadas, luxos, vaidades e vontades...representam apenas desejos e não necessidades. Por que se preocupar demais então?
Importante é o entendimento do que realmente interessa. O resto é como o café que evapora-se.
Portanto, um brinde a vida, e outro a simplicidade.
Juarez A Motyczka, outubro 2005