xícara - cup - taza - Кубак - vaso - coppa - kopp - الكأس - tasse - beker - fincan - גלעזל - κύπελλο - pehar - чаша - kupillinen - cawan - чашка - kop - koppie - kikombe - գավաթ - chávena - filxhan - kopa - কাপ - 컵 - kup - kuppi - カップ- cốc - inkomishi


quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Richard Edward Miller


                                         Tea Time (1914)         The japanese tea service (1907)

Richard Edward Miller (1875-1943). Pintor impressionista norte-americano é muito reconhecido e premiado, tanto na França (onde recebeu a Legião de Honra) quanto na Itália. Foi membro da Academia Nacional de Desenho (New York) e suas obras tem sido objeto de inúmeras exposições  e retrospectivas. 

Xícara brasileira

Xícara de café da fábrica brasileira Germer Porcelanas. Porcelana branca, decorada com listas irregulares pretas e flor estilizada em tons de rosa.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Chávena

retira um pacote de chá do armário.
enche a chaleira com água até cima.

pousa-a no mármore do armário de cozinha
e liga a tomada à ficha incrustada na parede.
ao fim de breves minutos
a água começa a ferver.

num tabuleiro de madeira castanho,
coberto por um pano branco
bordado à mão,
sou conduzida para a sala.

em seguida, senta-se no sofá.
estende a mão para o comando à distância:
um silvo no écran da televisão e
a imagem surge.
a princípio brutal, depois
imobilizada no rosto de uma mulher.

aguardo.
cuidadoso, como alguém
habituado a cumprir um ritual solitário,
aproxima o bule e
o chá desce sobre mim.

com a mão direita
leva-me até aos seus lábios.
repete este gesto uma e outra vez.

lá fora, a noite continua
o seu trabalho de demolição:
a tinta azul da porta
será a primeira a ressentir-se
do frio.


Jorge Gomes Miranda, o autor, nasceu no Porto, Portugal, em 1965 (conservei a pontuação e letras minúsculas, como está no original). 


Anúncio do Café Matarazzo, produzido em 1979 para exportação.

Xícara japonesa

Xícara de café proveniente do Japão da marca KKK. Porcelana branca “casca de ovo pintada à mão. Xícara e pires pintados em roxo. A xícara tem um painel em branco com gueixa (roupa marrom, faixa azul e dourada, gola laranja) e árvores. Faixa laranja com arabescos dourados. Flores em relevo laranja e branca. Asa dourada.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Eu descobri este post no blog de Elisa T. Campos. Gostei do haikai, amei a homenagem, por isso resolvi postar aqui. Espero que ela não se chateie (estou enviando um e-mail a ela). É também uma homenagem.


Doce lembrança
Chá com bolinhos de chuva
Carinho de mãe.

Publicado originalmente no blog http://pintandohaikai.blogspot.com.br.



Capa do blog da Iara Maria Zanatta, uma linda composição. O blog trata de assuntos diversos e textos da proprietária.
Endereço: http://doisdedodeprosa.blogspot.com.br/p/quem-e-ela_12.html

Este belíssimo mosaico, todo com xícaras em tons de azul, foi feito por minha nora, Adriana, com fotos da minha coleção tiradas por ela. Não ficou Lindo? 

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

A xícara e o sabor

Xícaras são apenas questão de gosto? Sim, porém não apenas no sentido de preferência! Parece que o tipo de xícara pode influenciar no gosto do próprio café.

Não vou expor razões científicas para isso, tampouco vou tentar provar que estou certo. Apenas vou falar de uma experiência possível a qualquer leitor.

Experimente um café espresso bem tirado e de boa qualidade em duas xícaras diferentes. Mas tem de ser a mesma extração (basta usar as duas saídas do filtro da máquina de espresso, simultaneamente).

Uma pequena e cônica, com a boca estreita. A outra, deve ser de boca larga, preferencialmente grande dessas de tomar café com leite ou chá. 

Verifique se sente diferença entre o sabor de cada um deles. Cada um terá sua resposta. Mas a minha é afirmativa.

Fiz essa experiência algumas vezes no Coffee Lab, em Pinheiros (São Paulo, SP). 
De início esperava não notar diferença. Mas achei o café da xícara maior mais saboroso. O gosto é mais suave e agradável.

Dizem os baristas do Lab, sob orientação de Raposeiras, suponho, que isso ocorre devido ao maior contato da bebida com o ar. A reação química consequente, seria favorável à liberação dos componentes aromáticos do café.

Não posso concordar ou discordar do argumento. Seria necessário ter mais conhecimento sobre química do que tenho. Espero que Raposeiras o tenha!


No fim, a questão é puramente de gosto, mesmo!

Publicado originalmente no blog http://apreciecafe.com/about em fevereiro de 2013.

Esta interessante estante foi criada por Scott Backwell, da "Creative Wood Furniture". 
Ele afirma que construiu as peças de modo que, de frente, parece que uma entra dentro da outra. Acho que não falta inventar mais nada ... Será?

Xícara chinesa


Xícara de chá trazida dos Estados Unidos por minha cunhada Lígia, mas fabricada na China da marca Green Gracie Bone China. Porcelana branca, com barrado em verde, com flores douradas. Ramos de flores verde em toda a volta da xícara e do pires. Frisos dourados.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Sétima chávena

A primeira chávena humedece os meus lábios e a minha garganta.
A segunda chávena termina com a minha solidão.
A terceira chávena procura libertar o meu espírito.
A quarta chávena eleva-me 
e todos os males da vida dissipam-se pelos poros da minha pele.
Na quinta chávena estou purificado...
A sexta chávena chama-me para o reino dos imortais e 
a sétima chávena 
- ah! mas já não pude aguentar mais.



Adaptação livre de poema chinês da Dinastia Tang

Xícara japonesa


Xícara de café proveniente do Japão, da marca KKK. Porcelana casca de ovo branca. Exterior e pires pintados à mão em tons de verde. Desenhos dourados e friso em relevo em toda a peça. Asa dourada.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Mini-xícara brasileira


Mini-xícara de café da marca Porcelana Schmidt. Porcelana branca, frisos prata. Barrados em cinza claro. Toda decorada com guirlanda de flores em tons de rosa, verde claro e branco.
Estes dois quadros são do ilustrador e pintor inglês George Dunlop Leslie (1835-1921). Ele nasceu em uma família de artistas: o pai (Charles Robert Lesli) era um pintor notável, o tio, a irmã e seu filho (Peter Leslie) também foram pintores conhecidos. Ele dizia que pintava com o propósito de mostrar “retratos do lado ensolarado da vida doméstica inglesa”.

Teacup dress

O artista chinês, de Pequim, tem 43 anos e projeta roupas montadas com cacos de porcelana. Não é porcelana comum, mas das Dinastias Song, Ming, Yuan e Qing.

As peças são muito caras, pois cada uma exige 3 meses de trabalho do artista para selecionar as xícaras de porcelana, queimar, fragmentar, acertar os pedaços, polir e, finalmente, juntar cada uma para dar o formato ao modelo final.  Os cacos são costurados em uma roupa de couro para fazer suas criações, que podem ser peças do vestuário feminino ou masculino, produzindo peças muito belas e frágeis.

Li já criou, em 2010, uma releitura da Clássica Pólo da Lacoste para a série Holliday Collector da famosa marca Lacoste. A peça é azul e branca e contém estampa de cacos de porcelana chinesa com desenhos de crianças e a flor de lótus. A peça de porcelana criada para a Lacoste está em exposição no Musée dês Arts ET Métiers em Paris.





Lady Gaga já usou em um de seus shows peças produzidas por Li Xiaofeng.



quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Xícara brasileira (especial)


Aparentemente uma xícara comum, dessas que são usadas em escritórios para servir café aos clientes. Mas, para mim, cheia de significado e lembranças. Quando se formou em Arquitetura, em dezembro de 1989, meu filho Tim conseguiu um estágio em um grande escritório de Arquitetura em São Paulo, hoje denominado Batagliesi Arquitetos+Designers. Ficou dois anos, com uma pequena remuneração, mas foi um grande aprendizado para ele. Passou por outros escritórios em São Paulo até que resolveu se estabelecer profissionalmente em Piracicaba.
Quando estava lá, me trouxe, num final de semana, uma xícara com o logo do escritório. Estava orgulhoso de ter tomado coragem e pedido a xícara ao chefe, explicando que eu colecionava.

Xícara de café da marca Schmidt. Porcelana branca, com quadrado em preto com logotipo da “Batagliesi & Carvalho Arquitetos Associados”, pires com friso preto.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Xícara maluca

xícara maluca é mais um dos brinquedos que as crianças mais apreciam nos parques de diversões. É um brinquedo muito divertido e colorido e chama a atenção delas.
Praticamente em todos os parques de diversões ao redor do mundo este brinquedo faz enorme sucesso. 
Só para citar alguns, elas estão nos parques da Disney nos Estados Unidos, Europa e Japão, no Beto Carrero World (Brasil). Além disso, mesmo em parques mais modestos, desses que se instalam na periferia das cidades ela está lá para alegria da garotada.


Mini-xícara brasileira


Mini-xícara de café sem marca. Porcelana branca, frisos pretos. Xícara e pires decalcados com figura do Trio Nordestino. No pires a inscrição João Pessoa, PB, Brasil. Comprei no aeroporto de João Pessoa em agosto de 2012. 

Árvore de Natal de porcelana reciclada



Na pequena cidade de Hasselt, na Bélgica, designers da empresa de comunicação MOOZ construíram uma maravilhosa árvore de Natal no centro da cidade inteiramente feita de xícaras e pratos de porcelana. 5.000 xícaras, pratos e bowls foram doados pelos habitantes da cidade para a construção da árvore de 30 pés de altura.
As fotos (detalhes) mostram como árvores feitas de material reciclado podem ser lindas.


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Xícara verde

Ofereceste-me uma xícara de café. Quente e forte, numa xícara enorme, verde, uma xícara de chá que serviria para café. Adquiri este meu hábito quando trabalhei nos Estados Unidos: tomar café em xícara grande. Não cheguei ao cúmulo de abandonar o café forte e aderir ao café aguado, mas simplesmente aumentei a quantidade.  Visitava-lhe a pretexto de lhe mostrar alguns textos recentes e discutir uma ideia que surgira para um livro. Fazia tempo que não lhe visitava e ansiava por poder deixar o tempo da tarde correr sem hora em companhia dela, sem ter o ponteiro do relógio como carrasco.

Observei os belos olhos castanhos a percorrer as páginas, enquanto tentava adivinhar seus pensamentos, sua crítica, sua impressão, sua reação, um eventual elogio, algum sinal, alguma emoção. Esboçaste um leve sorriso ao ler uma frase perdida no texto. Tranquilizei-me. Senti uma alegria interna, contida, mas uma leve aceleração do ritmo cardíaco persistia.

Distrai-me quando ajeitaste uma mecha de cabelo que caíra-lhe sobre o rosto, empurrando-a por detrás da orelha. Percebi o brilho do teu olhar, a vivacidade e a beleza tranquila de um rosto jovem, que escondia com maestria a idade verdadeira. Sem tirar os olhos do papel, tomaste um gole de café. O café era um momento sagrado e o silêncio que dominava o ambiente transmutava a literatura num ato quase religioso. Não a interrompi. Esperei pacientemente imerso numa longa admiração de seu rosto.

Sobre o centro da mesa, havia uma pequena vasilha com grãos de café torrados e cujo aroma só era percebido quando se aproximava o olfato da peça de decoração. Cada grão parecia representar os inúmeros segredos que compartilhávamos; cada grão era um ano de uma amizade talhada nas palavras, na escrita e na paixão pela leitura.


O sol se punha e uma leve penumbra abraçava o ambiente. Só então, ao ler a última folha, olhou-me com um sorriso. Não havia necessidade de palavras; antes de falar tinha a certeza de que havia gostado do texto. Como tantas outras vezes, bastava um olhar para que nos entendêssemos. Desta vez, porém, estava determinado a quebrar o silêncio e a romper a barreira do temor. Não arredaria o pé daquela aconchegante casa sem antes derramar meu coração sobre mesa. O tempo não seria mais complacente comigo. 

Renato Bueloni Ferreira, 22-10-2012

Xícara brasileira

Xícara de café da marca Porcelanas Schmidt. Porcelana branca, com frisos dourados, faixa cinza. Toda a volta com guirlandas de flores rosa, verdes, brancas. Pires sextavado.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Tiaras


Um acessório muito usado, especialmente pelas meninas, são as tiaras (também conhecidas como arcos, diademas). Elas são feitas com os mais diferentes materiais: couro, plástico, metal dourado, prateado ou colorido, tartaruga, elástico, madeira, etc., etc.. Em tempo: homens também usam tiaras: Forlan, da seleção uruguaia de futebol, e Beckham, da seleção inglesa entram em campo sempre com uma tiara para segurar a cabeleira.

Eu já vi tiaras enfeitadas com fitas, flores, bonequinhas, pedraria, penas, diamantes, miniaturas de todo jeito. Entretanto, essa foi a primeira vez que vi uma tiara enfeitada com uma xícara ...  e muito bem feita, com líquido e fumacinha (hehehe). 

Lady Gaga (5)


Aqui está ela novamente, surpreendendo com sua extravagância e com uma xícara mão. Acho muito divertido "caçar" as fotos. Ai, como eu queria ter uma dessas ...

Xícara japonesa


Xícara de chá da marca japonesa Shafford. Porcelana branca pintada à mão com grandes flores e frisos dourados. É um lindo trio, delicado, composto de xícara, pires e pratinho para bolo.
  

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Joseph Lorusso ((1)

Joseph Lorusso, celebrado pintor americano, nasceu em Chicago, Illinois em 1966. Nascido em família de descendência italiana, desde cedo ele expôs suas obras e realizou numerosas exposições. Tem uma vasta produção em pintura e é conhecido internacionalmente, tendo recebido numerosos prêmios e honrarias.
Uma coisa que me chamou a atenção para ele foi o fato de vários de seus quadros apresentarem xícaras compondo o cenário.
Vou apresentar no blog alguns posts com o trabalho dele. Escolhi seis para mostrar hoje. O interessante é que os três primeiros retratam a mesma pessoa, no mesmo lugar, em horários diferentes. Posteriormente colocarei outros.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Xícara brasileira

Xícara de café, sem marca. Porcelana branca, decalcada com ramo de flores em dois tons de rosa. Frisos dourados. O pires é inteiramente branco. Eu a recebi dentro de um cestinho de vime, junto com uma mini-xícara branca.

Esta xícara tem um significado muito especial para mim. Foi um presente de Cássia Remunhão e veio diretamente do apartamento de sua mãe, minha querida amiga Ilda Borges Gonçalves, falecida no ano passado. É uma lembrança dela que ficará sempre comigo.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Xícara americana ou chinesa?

Esta xícara de café, que eu ganhei de presente de minha "teacup friend" Jeannine LeCompte é muito linda! Porcelana branca. Pela pintura feita à mão, parece uma xícara chinesa, mas veio dos EUA. Pintada à mão com pássaros e flores. Friso largo azul real com arabescos em dourado na xícarara e no pires. Friso dourado na asa.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Xícara de chá



a xícara cai
cacos ao chão, mas o chá
ainda é chá



Ivanita, julho de 2009
Publicado originalmente no blog http://petalosdelapalabra.blogspot.com.br

Xícara brasileira

Xícara de café da marca Porcelana Schmidt, modelo Futurum, para uso diário. Porcelana branca decalcada com galhos de morangos e pequenas flores amarelas.

A dama e a xícara

Vejam que bela esta propaganda produzida no período compreendido entre 1890 e 1920. Elas, sempre elas [as xícaras] são ponto central no desenho.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Xícara chinesa

Xícara de café proveniente da China, da Gold Collection-Presentti, Italy Style. Porcelana fina branca, frisos dourados, decorada com flores em tons de azul.

Xícaras e nostalgia

     Sempre gostei de objetos e móveis antigos, que muitos  chamam carinhosamente de “velharias”.  Venho ao longo dos anos colecionando algumas peças. Normalmente ganho quando alguém quer me agradar ou simplesmente se “livrar” de alguma coisa.
     Todas contam uma história, e a maioria delas tem um significado especial pra mim, como por exemplo,  uma jarra linda que uma amiga ganhou no seu casamento uns 50 anos atrás, e me surpreendeu quando enviou a jarra, delicadamente embrulhada, numa viagem de mais de 500 km. Invariavelmente quando limpo a jarra, me lembro de seu sorriso fácil  e dos dias que dividimos sonhos e também muitas frustrações.
     Numa fase de mudança e cortando o vínculo definitivamente com uma região geográfica, a necessidade de visitar alguns amigos é gritante. Ontem foi um desses dias.   Ao passar boa parte do dia com uma amiga que conheci quando  estávamos grávidas dos nossos caçulas, e os  nossos lindos bebezinhos estão hoje com quase 21 anos, não posso deixar de constatar que o futuro chegou!
     Fiquei saudosa e nostálgica na viagem de volta. Dei que  minha amiga  vai reler esta frase..., vai rir ...  e não vai acreditar... mas é verdade.
      Uma saudade esquisita, aquela sensação que eu detesto: “parece que não aproveitei o bastante!”
       Ri sozinha com algumas lembranças, e me deu vontade de chorar com outras... fiquei só na vontade...

Somos tão iguais... e tão diferentes...
Eu gosto de “velharias”, ela gosta do contemporâneo.
Ela é sensível e amável. Bem, eu sou racional e amável
bem de vez em quando...  
Ela fala com cuidado usando delicadamente as palavras...
e eu ...não gosto muito de atalhos!
Ela já me irritou com sua maneira polida e  delicada,
e já se magoou com minha racionalidade áspera e ácida. 
Por outro lado, compartilhamos as mesmas preocupações com filhos,
temos a mesma fé,
gostamos de cafezinho e de um docinho depois do almoço.

     Acho que nestes vinte e poucos anos já vivemos intensamente uma amizade, e posso dizer que admiro muito minhas outras amigas, mas sem dúvida ela é a mais bonita, e juro, não é porque continua magra!
     Estou ficando velha e nostálgica, que raiva!!
     Voltemos aos objetos significativos. 
     Ao nos encontrarmos ontem, a primeira coisa que vi foram  duas xícaras antigas me esperando. Minha amiga separou  cuidadosamente  as xícaras que foram de sua mãe. Eu sei mais do que ninguém o amor e carinho que ela teve por sua mãe! Acho que foi isso que me fragilizou desta maneira.
     Trouxe as xícaras com todo cuidado e com certo medo... pois sou, digamos um pouco desastrada...
    Mais do que fazer parte da minha pequena coleção de “velharias” elas serão como um memorial da nossa amizade. Quando um dia meus netos perguntarem: “e estas xícaras vovó, de onde vieram?”  Vou ter que sentar e contar a história de amizade que construímos, e como quase todos os idosos, vou caprichar nos detalhes, repetir inúmeras vezes as mesmas coisas, trocar alguns nomes...  e sentir uma saudade danada de um tempo que passou.

    Obrigada  Vera Eunice, por fazer parte das minhas melhores lembranças!
 
      Nunca a chamei pelo nome completo, para mim é simplesmente Vera, mas para que não haja dúvidas...

Denise Moraes, 16-12-2012



Pintura com café: Dirceu Veiga

O café está presente no dia-a-dia de grande parte das pessoas através do mundo: brasileiros, norte-americanos, europeus, todos apreciam o gosto e os efeitos da café e agora, graças ao artista Dirceu Veiga, é possível apreciá-lo em obras de arte. O ilustrador curitibano faz arte a partir da bebida diária de tanta gente. E tudo muito bonito! 
Ele é ilustrador comercial desde 1994, especializado em ilustração infantil e realista, cartum, design de ícones, criação de personagens e quadrinhos. Passou por diversas editoras e agências, até abrir seu próprio estúdio em 2001.
O projeto “Coffee Art” (técnica de pintura com café sobre papel)  é feito com especial atenção a, por um lado, pinceladas cuidadosas, por outro lado, a torra controlada dos grãos. Foi nas tradicionais cafeterias curitibanas que Dirceu  começou a juntar duas formas de arte: a arte de pintar com a arte de fazer um bom café. Ele usa apenas café expresso e assim dá forma e significado às manchas de café que caem sobre o papel, criando uma nova maneira de apreciar essa bebida e dando à inspiração um novo sabor.


terça-feira, 11 de junho de 2013

Belo par de xícaras brasileiras

 
Aqui estão as duas juntas. Engraçado, ao fotografar elas parecem do mesmo tamanho, mas é ilusão de ótica: a que está mais atrás é meio centímetro menor. Parece pouco, mas em uma xícara é bem significativa a diferença.

Mais uma bem brasileira!

Ei!  Parece a mesma da postagem anterior, mas não é. Esta é a mini, que comprei junto com a outra na feira hippie.
Esta aqui tem 4,5cm de altura x 4,5 cm de diâmetro. Também é linda!

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Xícara bem brasileira!

Xícara de café, sem marca, comprada na feira hippie de Piracicaba. Porcelana branca pintada à mão por artesão de Piracicaba, tem  5 cm de altura x 5 cm de diâmetro. em cores bem fortes: laranja, azul real, amarelo – motivos geométricos, frisos e asa em preto. O pires tem faixa mais larga em laranja.

Todo mundo tem ... e usa!

ESTADISTAS
(1)    David Cameron (primeiro ministro da Inglaterra)
(2)    Dimitri Medvedev (primeiro ministro da Rússia)
(3)    (3) Vladimir Putin (atual presidente da Rússia, foi presidente de 2000 a 2008 e Primeiro Ministro de 2008 a 2012)
(4)    John Kennedy (presidente dos Estados Unidos de 1961 a 1963)
(5)    George W. Bush (presidente dos Estados Unidos de 2001 a 2009)
(6)    José Luiz Zapatero (primeiro ministro da Espanha)

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Vejam os cabelos!

Propaganda de Nescafé de 1940, publicada nos Estados Unidos.

Xícara bem brasileira!

Xícara para café, sem marca. Presente de minha amiga Bia Vicentini,  confeccionada no Armazém da Maria, de São Carlos, SP. Latão pintado à mão (linda!): fundo laranja, motivo floral bem delicado. Sem pires.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Uma flor e uma xícara de café

Já teci sonhos dourados
com fios recolhidos no baú;

viajei pelo infinito... pousei no luar...


Já amei com volúpia e ternura,
numa suave loucura de ser
a eternidade de mãos dadas...


Depois, a quietude sonâmbula
me deixou só... no chão sentado.
Mirando o horizonte com saudade...

Embora, resta-me a fumaça,
com nuvens e paisagens, no sopro
do cigarro... um xícara de café quente
e a velha flor seca... no livro fechado.

Jorge Bichuetti, julho de 2012 

Xícara brasileira

Xícara de café da marca Porcelanas Schmidt. Porcelana branca, frisos dourados. Faixa com grega preta e marrom claro. Barra larga em creme com rede marrom claro e decalque de flores.

Henry Salem Hubbell

Quadro do pintor americano Henry Salem Hubbell (1870-1949) intitulado Tea time. Hubbell foi um dos últimos pintores pertencentes ao Círculo Giverny de pintores impressionistas americanos, isto é, pertencia à escola de Claude Monet.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Xícara brasileria

Mini-xícara de café comprada por mim no Rio de Janeiro em 1985, sem marca. Porcelana branca, frisos dourados, decalque de carrinho de mão com flores.

Duas xícaras de chá e um soneto

É o que me basta
Passar a noite e sorrir na madrugada
Sentir na última página do terceiro livro
A cor serena de duas xícaras de chá e um soneto
Esperando você!


Chico Nascimento, janeiro de 2013
Vice-Diretor CEPAN - Ibirapitanga-BA, Diretor de Teatro/Dramaturgo, Assessor Cultural AGIR/PDCIS, APA do PRATIGI

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Par italiano

 
Para completar, estou postando as duas xícaras juntas, que formam um belo par. Às vezes eu penso que já tenho xícaras demais, mas ... logo aparece uma nova, linda, presenteada com carinho e me convenço de que devo mesmo colecionar. Obrigada, amigos, fico sempre feliz quando as ganho.

Xícara italiana

Outro presente de natal de Almir e Susana Maia, também trazida da Itália pela Supérfluo. Porcelana branca, também decorada com araras. Alta, elegante. Pires com formato bem diferente do usual, onde está pintado o nome do meu marido: Erasmo.

Xícara italiana

Xícara de chá importada da Itália pela Supérfluo, loja de Piracicaba. Porcelana branca, decorada com belas araras. Alta, elegante. Pires com formato bem diferente do usual. No pires está pintado meu nome. Foi umpresente de natal de meus amigos Susana e Almir Maia.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

A xícara e o jornal



Este reclame (assim era chamado à época) anunciava a circulação de novo jornal diário na cidade de São Paulo: Jornal da Tarde, ou simplesmente JT. Sua primeira edição circulou em 4 de janeiro de 1966 e a última, mais de 46 anos depois, em 31 de outubro de 2012.  Inicialmente era vespertino, mas passou a matutino em 1988 por causa da piora no trânsito da cidade que atrasava a distribuição no começo da tarde.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Fabrício Carpinejar

Para o amor, um banco de praça já basta.
Ou ficar na frente de um portão.
Ou uma xícara de café.
Amor mesmo é um filme de baixo orçamento.

Fabrício Carpinejar