xícara - cup - taza - Кубак - vaso - coppa - kopp - الكأس - tasse - beker - fincan - גלעזל - κύπελλο - pehar - чаша - kupillinen - cawan - чашка - kop - koppie - kikombe - գավաթ - chávena - filxhan - kopa - কাপ - 컵 - kup - kuppi - カップ- cốc - inkomishi


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Xícara brasileira


Xícara de café sem marca, brinde do Rancho Empyreo Restaurante, localizado na cidade de Leme, SP.  Xícara pintada em bordô e pires com larga faixa na mesma cor. Frisos e asa em branco. A xícara tem um medalhão branco com o logotipo do estabelecimento em bordô. Coleção Dina Faria.

As xícaras na obra de Fernando Pessoa


Ontem (13 de junho) foram comemorados 129 anos do nascimento de Fernando Pessoa,  um dos mais importantes poetas da língua portuguesa.

O pequeno trecho que reproduzo aqui está no Livro do Desassossego, de Bernardo Soares (um dos heterônimos de Fernando Pessoa).

"Concentrei e limitei os meus desejos, para os poder requintar melhor. Para se chegar ao infinito, e julgo que se pode lá chegar, é preciso termos um porto, um só, firme, e partir de ali para Indefinido.
Hoje sou ascético na minha religião de mim. 

Uma chávena de café, um cigarro e os meus sonhos substituem bem o universo e as suas estrelas, o trabalho, o amor, até a beleza e a glória. Não tenho quase necessidade de estímulos. Ópio tenho-o eu na alma.

Que sonhos tenho? Não sei. Forcei-me por chegar a um ponto onde nem saiba já em que penso, em que sonho, o que visiono. Parece-me que sonho cada vez de mais longe, que cada vez mais sonho o vago, o impreciso, o invisionável."

terça-feira, 6 de junho de 2017

Georges van den Bos

Quadro do pintor belga Georges van den Bos (1835-1911) - óleo sobre tela. Nascido em Ghent, Bélgica, ele estudou pintura em Bruxelas e Paris. Suas obras estão em diversos museus ao redor do mundo. Ele se especializou em paisagens e retratos.



Royal Crest Mug - England

Ganhei esta caneca da Paula Gonçalves. Ela a trouxe de Londres, quando lá esteve em 2012 durante os Jogos Olímpicos de Verão. 


Caneca da marca Royal Crest Porcelain, bem decorada em em ricos tons de azul e dourado,  com dois medalhões com o retrato oficial dos príncipes. Entre os medalhões está a inscrição: "To comemorate the Royal Wedding of H.R.H. Prince William to Catherine Middleton. 29th April 2011."


sexta-feira, 2 de junho de 2017

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Mariana e eu

Minha nora Adriana, responsável por 95% das fotos aqui postadas por mim, gosta de brincar. Por isso montou meu retrato com a Mariana dentro de uma xícara de café. Amei!


"A Brasileira", café em Lisboa


Anúncio do café "A Brasileira", de Lisboa. Este anúncio é antigo, mas o café continua lá. Contam os biógrafos do escritor Fernando Pessoa que ele estava sempre por lá, tanto que o homenagearam com uma estátua à porta. Esta estátua é um dos pontos preferidos dos brasileiros que vão a Portugal. Na foto, minha amiga Josiane (querida professora da UNIMEP) "abraça" um dos seus escritores prediletos. 



Maio de 2017


sexta-feira, 7 de abril de 2017

Aldravia

Resolvi "cometer" uma aldravia. Me perdoem os escritores a ousadia.

delícia
beber
café
em 
xícara 
antiga

Irene Jardim, abril de 2017.

Xícara de chá brasileira


Xícara de chá da década de 1960 da marca Porcelanarte. Porcelana branca, pintada de verde claro. Pires e xícara com ramos de rosas cor-de-rosa e brancas. Base, asa e frisos dourados. 

Abril de 2017


quinta-feira, 23 de março de 2017

O chá da rainha


A rainha da Inglaterra é conhecida pelo seu hábito de tomar chá e isto só poderia ser feito em belas xícaras. A 6ª foto é de um serviço de chá feito especialmente para comemorar a coroação da rainha em 2 de  junho de 1953. Vejam alguns momentos.

"Made in China"

Xícara de café "Made in China", mas comercializada nos Estados Unidos. Presente de uma amiga que esteve em New York. Porcelana branca decorada com fotos de dois conhecidos cartões postais da cidade: Empire State Building e Estátua da Liberdade. Sem pires. 


Consistência do chá

Sempre que eu amo alguém eu faço chá. Quando eu digo que amo não quero dizer que amo, meu amor é diferente, é como o amor das pessoas que bebem chá de maracujá: calmo, quieto, e preguiçoso. Eu amo as mulheres como bebo uma xícara de chá quente: devagar e intenso. Coloca o sachê na xícara, derrama a água fervida, coloca açúcar e mexe. Isso, mexe. 
Essa é uma prosa sobre uma mulher que enquanto mexia seu chá, mexia seu corpo todo, e sobre eu, que só queria ser aquela colher. Toma cuidado pra não queimar a boca, moça, me bebe devagar. Mexe mais um pouco.
Chá de camomila a gente toma quando tá doente, e como o chinês da Tiê diz enquanto toma seu chá verde: “fica feliz que vai funcionar”. Me diz, você ta feliz assim? 
Eu devia ter escrito um poema, mas eu estava preparando um chá inglês, porque meu chá gelado de limão acabou, e pensei em quando eu quebrei uma das minhas canecas favoritas. Aquela outra moça se preocupou tanto com a minha caneca. A maioria das pessoas teriam ignorado e continuado a tomar seus chás pretos e fortes. 
O chá de hortelã é tão leve quanto porcelana. Quando chove eu tomo chá de morango, e tomo chá mate gelado para sobreviver de manhã. 
Mas a verdade é que enquanto aquela moça mexia seu chá de camomila e seu corpo, eu não pensava em ser colher, eu tava é pensando em chá gelado de pêssego. A consistência do chá se baseia em nossas vidas, meu chá ficou aguado.

LÊ FRANÇA

Crônica publicada originalmente no blog: https://cronicasamorasdohomemquevegeta.wordpress.com

sexta-feira, 10 de março de 2017

Xícara paraense (mais uma)


Mais uma xícara de café que me foi presenteada por uma amiga ao voltar de viagem a Belém do Pará. Foi comprada em uma feira de artesanato na capital paraense. Cerâmica escurecida, com faixa grega na cor creme. Sem pires.

quarta-feira, 8 de março de 2017

George Goodwin Kilburne

Pintor inglês, Kilburne (1839-1924) especializou-se em retratar interiores precisos, desenhados com figuras. Ele trabalhou com aquarelas, óleos, lápis e - em sua carreira precoce - gravuras. Suas pinturas retratam frequentemente as classes superiores e as mulheres vestidas na última moda do final do século 18 e do início do século 19. A representação desta forma de beleza era caracterizada pela atenção aos detalhes com o vestido e os interiores ricamente decorados.
O trabalho de Kilburne pode ser visto hoje em dia em muitas galerias públicas e particulares, incluindo a Galeria de Arte Walker em Liverpool, a Galeria de Arte da Cidade de Manchester e a Galeria de Arte de Sheffield.
Os dois quadros têm o mesmo nome: "Taking tea".

Xícara brasileira


Xícara de café sem marca. Porcelana branca decorada com logotipo do Alvorada Palace Hotel de Poços de Caldas, MG. Frisos pretos e dourados na xícara e  pires. 

sexta-feira, 3 de março de 2017

Só os japoneses, inventivos como só eles

Interessante esta xícara de chá da marca Kedo (japonesa). Além de ser bonita, tem um detalhe muito útil: Um botão colocado na lateral, que serve para prender o saquinho de chá, não deixando que ele vá com a cordinha para dentro da xícara. Cada xícara vem com 3 botões, de cores diferentes, para trocar quando quiser.


Xícara brasileira


Xícara de café da marca Porcelana Steatita. Porcelana branca decalcada com o logotipo do restaurante “O Compadre”, especializado em comida mineira e localizado no estacionamento do Shopping Lar Center, Vila Guilherme, São Paulo. Friso azul largo na xícara e pires. O pires tem também frisos prata.

Março de 2017


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Brincando com a vovó

Linda imagem. Não dá para imaginar as duas brincando de "casinha"?


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Royal Copenhagen


Xícara de café da marca Royal Copenhagen, trazida da Dinamarca pelo meu sobrinho André.
A fábrica de porcelana chamada Royal Porcelain Factory foi fundada em Copenhagem em 1º de  maio de 1775, sob a proteção da Rainha Juliane Marie. É reconhecida pelo logo abaixo.


 RoyalcopenhagenLogo.png

Porcelana branca. Pires e xícara decorados om ramo de flores em tons de azul cobalto. 

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Vejam que lindo este conjunto de xícaras feitas em crochê. Trabalho feito com esmero e bom gosto. Só me fica a pergunta: qual a utilidade? Bem, nem só de coisas úteis é feito o prazer, não acham?



Estou ficando repetitiva. Será a idade? Talvez. Mas, preciso dizer que não me canso de admirar a criatividade. Vejam estes aneis (ou é um só, não sei), originais. Não sei se eu usaria, mas acho bonitos.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Xícara brasileira


Xícara de café sem marca em cerâmica pintada de branco com pequenos detalhes em dourado. Lembrança do casamento de Tarcizinho e Maria Flávia. 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Cecília Meireles

 
Estas duas não são exatamente velhinhas, mas me lembraram um poema de Cecília Meireles de que gosto muito e que já postei aqui, intitulado "As duas velhinhas".

                                 Duas velhinhas muito bonitas,

Mariana e Marina,
estão sentadas na varanda:
Marina e Mariana.

Elas usam batas de fitas,
Mariana e Marina,
e penteados de tranças:
Marina e Mariana.

Tomam chocolate, as velhinhas,
Mariana e Marina,
em xícaras de porcelana:
Marina e Mariana.

Uma diz:"Como a tarde é linda,
não é, Marina?"
A outra diz: "Como as ondas dançam,
não é Mariana?"

"Ontem, eu era pequenina",
diz Marina.
Ontem, nós éramos crianças",
diz Mariana.

E levam à boca as xicrinhas,
Mariana e Marina,
as xicrinhas de porcelana:
Marina e Mariana.

Tomam chocolate, as velhinhas,
Mariana e Marina,
em xícaras de porcelana:
Marina e Mariana.

Cerâmica paraense


Ela não é linda? Foi um presente de minha amiga Bia, que a encontrou em uma feira de artesanato em Belém do Pará. Cerâmica cor de barro envernizada com faixa grega em branco e preto no centro. Sem pires.

Artesanato muito especial

Eu me apaixonei por este trabalho assim que o vi. Um capricho, um bom gosto ... Sem contar que retratam meu utensílio predileto: xícaras.
Eu achei no Facebook e não tinha o nome do(a) autor(a). Se alguém souber, por favor me avise para que eu possa dar o crédito.



quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Um dos meus autores prediletos

Sou fã de Mário Quintana. Fico feliz quando encontro algum texto escrito por ele que pode ser colocado aqui. 


Janeiro de 2017

Feliz ano novo!